sexta-feira, dezembro 01, 2006

EU CONTRA TODOS! - Destrunfanço (6º episódio)


A longa e
tortuosa jornada!!





Antes de começar a escrever os disparates do costume, quero desde já agradecer a todas as pessoas que tiraram tempo para enviar mensagens, mails, comentários, SMSs... E também a todas as que telefonaram (mesmo que não tenham conseguido falar comigo). Obrigado, e Boas Festas


EPISÓDIO 6: O princípio do fim

Após a sessão anterior, já tive direito a honras de camarim.
E enquanto caminhava nos bastidores, dou de caras com o apresentador a falar com a Raquel (ex-concorrente na cadeira principal). "Oops, estarei aqui a mais?", pensei eu. Calaram-se os dois por uns instantes, e ficaram a olhar para mim. Eu sorri-lhes, e encolhi os ombros. E fiquei à espera que alguém me indicasse qual das portas daquele corredor era a que me correspondia. Ele fez uma piada qualquer a meu respeito, que eu não ouvi, e todos se riram. Haahahah, foi mesmo engraçado. A partir daí comecei-me a rir "à parva" de todas as piadas que ele fazia, ouvindo-as ou não.


Alguém se lembrou que seria bom maquilhar-me e pentear-me. Eu declinei a oferta. O problema nesta cabeça não vai lá só com pinturas ou laca.


E começa o programa. Conversa do costume com o apresentador, e sobem-me a cadeira. Lá de cima apercebo-me de um conjunto de quase 20 holofotes, dispostos em círculo, que se acendem na minha direcção. O desconforto da cadeira tinha agora um rival: o desconforto da luminosidade.


Estava incomodado. O microfone estava sempre a cair. Tinha sede. As pessoas tossiam no estúdio. Dois monitores à minha frente, e nenhum dava futebol. "Será que deixei o forno ligado?"...


Vieram as perguntas. E como é diferente carregar num botão em vez de vocalizar a nossa resposta. E começo a fazer uso do plano F&P (a explicação virá nos posts seguintes).

O écran da esquerda mostrava-me os trunfos que ainda tinha. Era como se me estivessem a dizer que eu era incapaz de ganhar o que quer que fosse sem os usar. E irritava-me vê-los ali, a brilhar, ao canto do olho.


Veio Odemira. Depois Wemans. Por fim, Oppenheimer. Livrei-me dos trunfos. Livrei-me da pressão. Estava agora como se estivesse na plateia. Tudo o que me viesse à cabeça nos primeiros 6 segundos da pergunta, seria o que eu iria responder. Mesmo que o apresentador viesse com a lengalenga do costume. Tinha funcionado até ali, e não era agora que me iria falhar. Nada me iria parar. Excepto talvez, o Ricardo, concorrente da cadeira 7.


Para ser honesto, esta deve ser a sessão que me lembro menos. Talvez pela má prestação, talvez por já ser filmada muito tarde, mas sei que não houve desculpas para muitas das coisas que disse/fiz. Mas tal deveu-se à situação em que me encontrava. Às vezes vemos as pessoas na televisão, e desconhecemos o que lhes vai na mente para dizer as barbaridades que dizem. Havia, de facto, muita coisa na minha cabeça naquela noite. Mas senti-me satisfeito por as coisas estarem a correr quase como previra. E se conseguisse ultrapassar esta sessão, talvez na próxima já fosse outro homem diferente.
Ou não.


(continua)

5 comentários:

Nivea disse...

Ora bolas.. podias ter mais dois trunfos. Odemira e Oppenheimer tu sabias!! Mas pronto, estar deste lado é diferente, falar é bonito mas depois estar na cadeira é que são elas.
Fizeste um percurso tão.. original, que eu gostava que ganhasses o prémio. Espero sinceramente que tenha sido isso a acontecer. E a ver se aparecem fáceis de jeito. Espero que o Malato não te lixe mais.

Anónimo disse...

Hello Carlitos! Já não te vejo há tanto tempo e apareces-me assim cá em casa! Espero que ganhes! Se não... ao menos podes te orgulhar de ter uma saga com mais episódios que o "star wars"! Boa Sorte e Beijinhos da J´aninha
Ps- "Carlos José"?? não é nada o teu género! hehe

Anónimo disse...

Olha quem está cá em Portugal! Estava muito bem a ver televisão, e de respente digo: Aquele é o Carlitos!!
ENTÃO NÃO SABES ONDE FICA ODEMIRA TRENGO? Deve ser da falta das rabanadas...
Vê lá se ganhas que quero prendinhas do Gaiashopping!!
Beijinho, Ângela

Mike disse...

Gosto da mentalidade: "É pá, já não te via há 15 anos, mas agora que há algum tipo de hipótese de ganhares 5 euros, vou escrever-te qualquer coisa, pois nunca se sabe o que é que pode pingar para este lado."
PS: vai jogando no euromilhões. Se te sair, vais de certeza receber telefonemas de malta da primária e de primos em 157º grau!

Farináceo disse...

FAZ-ME UM FILHO CAJÉ!!!!!!!!!!